Entrega em domicílio:
Posts
Comments

Assim como os pães cozidos no vapor, os noodles, o arroz e a soja, em boa parte da Ásia você pode encontrá-los. Recheados com carne, frutos do mar ou apenas vegetais, feitos com farinha de arroz ou trigo, os pasteizinhos ou bolinhos recheados, em inglês dumplings, ganharam várias formas e sabores naquele continente.

Essas massas recheadas fazem parte, por exemplo, do dim sum, uma refeição cantonesa que lembra nosso café da tarde, com a diferença de que é com chá e geralmente antes do almoço. Assim, entre os diversos pratos que fazem parte do dim sum, podemos encontrar o hargau (bolinho feito com farinha de arroz e recheado com camarão), o fun guo (também de farinha de arroz, mas recheado com porco, amendoim, cogumelos, etc), o shao mai (no Japaõ, shumai) e outras receitas feitas com massas recheadas.

E ainda na China, existe o onipresente jiaozi que muitas vezes substitui o arroz e o macarrão nas refeições chinesas. No Japão, onde é chamado de gyoza, é um acompanhamento essencial do lamen. Outro prato muito popular nos dois países é o huntun, mais conhecido no Ocidente pelo nome cantonês, wonton (no Japão é wantan). Esse pode ser frito, ou cozido em uma sopa ou com noodles.

Na Coréia, existe o mandu, que apesar de lembrar um pouco  o jiaozi ou o gyoza, é mais parecido com o manti, dumpling encontrado entre os vários povos da Ásia Central, do Casaquistão à Turquia, passando pelo Turcomenistão e Afeganistão. Em cada país ou etnia esse prato ganhou recheios e preparos diferentes: iogurte, batata, abóbora, carne de cordeiro ou boi, hortelã, etc.

Como você podem ver, a variedade é enorme, e poderia ficar até amanhã escrevendo sobre os diversos tipos de preparos com massas recheadas encontradas apenas na Ásia. Então qual prato faremos? Que tal o mais conhecido de todos, o jiaozi ou gyoza.

A massa pode ser comprada pronta em qualquer loja de produtos asiáticos. Ou se quiser, pode utilizar a receita que uma amiga japonesa me ensinou enquanto estive no Japão. Mas por que não uma receita chinesa?Apenas uma questão de gosto. A principal diferença entre o chinês jiaozi e o japonês gyoza é espessura da massa, muito mais fina nessa última.

Quanto ao recheio, apresentarei um vegetariano, com cogumelos e outro com porco. E nada impede você de misturar os dois (adoro gyoza de porco com cogumelos).  Essa receita pode ser preparado tanto no vapor quanto em fritura de imersão, mas o mais comum na cozinha japonesa é feito na frigideira.

Gyoza ou jiaozi

Ingredientes
Massa
2 xícaras de farinha
1/2 xícara de água fervente
Uma pitada de sal
Recheio
250 gramas de carne de porco moído (ou, na versão vegetariana, 300 gramas de shimeji, shitake ou a combinação de ambos, bem picado)
2 folhas grandes de acelga fatiada bem fina
1 colher (sopa) gengibre ralado
3 dentes de alho moído
1 colher (chá) de molho de ostra
4 ramos grandes de nira picado
1 colher (chá) de óleo de gergelim
sal à gosto

Preparo
Massa
1. Peneire a farinha e misture com o sal.
2. Jogue a água fervente aos poucos, misturando com a ajuda de hashi ou garfo.
3. Continue misturando a massa com as mãos, até conseguir formar uma bola.
4. Coloque a massa numa tigela, cubra com um pano e leve à geladeira por uma hora.
5. Numa superfície com um pouco de farinha, sove a massa por cerca de 5 min.
6. Divida essa massa em vários pedaços e estique-a o máximo que puder, deixando-a da espessura próxima de uma folha de papel.
7. Corte-a com a ajuda de aro (ou uma xícara), em círculos de cerca de 8 cm de diâmetro.

8. Não esqueça de polvilhar um pouco de farinha entre as folhas da massa para não grudar.

Recheio
1. Faça o recheio enquanto deixa a massa na geladeira.
2. Misture todo os ingredientes e espere cerca de 15 min. antes de usá-lo.

Montagem e cozimento

1. Sempre coloque pouco recheio, cerca de uma colher de chá.

Depois de dobrado: frente...

2. Existe várias formas de dobrar o gyoza. O que mais uso é esse, mais comum no Japão. Mas você pode dobrá-lo dessa forma, mais comum entre os chineses.

3. Depois de montados alguns gyozas, é era de cozinhá-los. Você pode prepará-los no vapor ou em fritura de imersão. A primeira forma é mais saudável, bastando cozinhá-los numa cuscuzeira sobre um pano

e verso.

molhado ou em uma cesta de bambu chinesa, por cerca de 10 min. Já a fritura de imersão é mais complicado, pois você deve controlar a temperatura do óleo, de forma a não ficar com o recheio cru. No entanto, a forma mais comum, no Japão, é o yakigyoza, feito na frigideira.

4. Para o yakigyoza: esquente uma frigideira com uma colher (sopa) de óleo, apenas para que a massa não grude. Coloque os gyozas na frigideira e deixe-os fritando até que uma das faces esteja dourada.
5. Acrescente água até atingir metade da altura dos gyozas e tampe, para que o vapor finalize o cozimento.
6. Retire os gyozas quando a água secar.

Ps. O segredo de uma massa resistente e ao mesmo tempo maleável é utilizar água fervente no seu preparo. Dessa forma, o glúten pode ser parcialmente cozido, tornando a massa elástica.

Update: Se quiser saber mais sobre dumplings asiáticos, existe esse blog: Asian Dumplings. Nele, Andrea Nguyen fala dos mais diversos tipos de dumplings asiáticos: desde a adaptação cantonesa do português pastel de belém até o tradicional rolinho primavera (foi esse site que me ensinou a fazer a massa para harumaki).


12 Responses to “Gyoza (guioza) ou jiaozi?”

  1. I am glad for commenting to let you be aware of of the beneficial discovery my cousins girl developed going through your web site. She learned lots of pieces, which include what it is like to have a marvelous teaching nature to have certain people smoothly comprehend selected tortuous issues. You really exceeded her expectations. I appreciate you for displaying these productive, trusted, revealing and in addition cool tips on your topic to Lizeth.

  2. Evelyne disse:

    Hi there, I want to subscribe for this blog to obtain most
    up-to-date updates, thus where can i do it please help.

  3. Thank yoսu foг ѕharing your info. I really appreciate your efforts and I aam waiting for your further post thank you once again.

  4. The economy also plays a large part in values of currency.

    A broker actually guides you with tips and proposals, but the
    ultimate judgment of where the money should go lies with the trader.
    Either way, you’ve learned what you needed to learn.

  5. I’m gone to convey my little brother, that he should also go to see this weblog on regular basis to obtain updated from newest
    gossip.

  6. You have made some good points there. I checked onn the internet
    for additional information about the issue and found most people will go along with
    your views on this web site.

  7. Hello to every , as I am in fact eager of reading his web site’s pst to be updated on a regular basis.
    It consists of fastidious material.

    Feel free to visit my web blog … Atlanta Car accident

  8. Photography is great. Thank you for sharing.

  9. Denis Geenen disse:

    Saulo, eu uso a farinha de arroz para motti como explicado acima com agua fervente e pitada de sal, vai devagar com a agua e que ela esteja bem quente(as vezes precisa mais outras menos), tambem fiz metade polvilho metade f. de arroz, deu certo quando botei uma folha de bananeira fervida no fundo (papel manteiga tambem serve,,)

  10. Saulo disse:

    Olá! Adoro guioza e ver essa receita me deu água na boca. Infelizmente tenho intolerância ao trigo e não como guioza há um bom tempo. Você já tentou fazer com farinha de arroz? Eu tentei, mas não consegui dar a consistência certa. Tem alguma dica ou receita de massa de arroz para guioza? Abraços…

Leave a Reply