Entrega em domicílio:
Posts
Comments

Wagashi é a palavra, em japonês, usada para designar os diversos tipo de doces tipicamente japoneses, em contraposição à palavra yogashi, que refere-se a doces de origem ocidental.  Anmitsu, dango, yōkan, manju, kusa mochi, monaka, rakugan, a variedade é imensa, no entanto, os ingredientes são basicamente os mesmos: azuki, farinha de trigo, de arroz (vários tipos) e açucar, mas com vários métodos e técnicas de preparo.

No Japão, a qualidade varia muito, sendo encontrado desde em supermercados à lojas especializados, onde a confecção é considerado uma arte. No período em que estive lá, minha loja preferida era a Tora-ya, onde ingredientes de primeira linha são essenciais, como o wasanbon, açucar feito nas províncias de Tokushima e Kagoshima a partir de uma variedade chamada taketō ou chikusa, mais fina que as variedades cultivas aqui no Brasil.

Além dos tipos supra citados, encontrados no Japão inteiro, existe uma variedade enorme de wagashis, de acordo com a região, província ou cidade. Os japoneses, que sempre compram lembranças para amigos, familiares e colegas durante suas viagens, tem nos doces típicos muitos de seus presentes (omiyages) preferidos. Eu, que morava em Tóquio e sempre ia a Kyoto, com frequência, voltava para casa com várias caixas de doces da cidade que foi capital imperial entre os séculos VIII e XIX, período que desenvolveu uma cozinha palaciana extremamente sofisticada.

Mas o wagashi não é feito apenas de açucares finos ou histórias de uma gastronomia palaciana. Um dos wagashis mais populares é o dango, vendidos em lojas de conveniências ou docerias populares nas ruas. Simples, é feito com o principal ingrediente da cozinha japonesa: o arroz. De vários tipos, com doce de azuki ou com chá verde, é tão popular que existe um provérbio que diz “hana yori dango” (花より団子, literalmente, “melhor dango do que flores”), que se refere a importância do prático ou/e do útil frente a estética.

A receita a seguir é de dango com mitarashi, um molho ou calda meio que agri-doce-salgado. No Japão, o dango é feito com joshinko,um tipo de farinha de arroz, e shiratamako, outro tipo de farinha, de arroz glutinoso. O problema é que ambos são difíceis de encontrar e caros. Mais fáceis de encontrar são as farinhas de arroz chinesas. Nesse caso, é necessário fazer uma adaptação, e mesmo assim, o resultado não será igual ao feito com os ingredientes originais. Mas à frente, pretendo postar sobre os diferentes ingredientes asiáticos. Por enquanto, fiquem com a receita a seguir.

Mitarashi dango

Ingredientes:
Dango
2/3 xícara (chá) de joshinko ou farinha de arroz comum
2/3 xícara (chá) de shiratamako ou farinha de arroz glutinoso (mochiko) acrescido de uma colher (sopa) de amido de milho.
1/2 de xícara (chá) de água morna
Mitarashi-dare
2 colheres (sopa) de shoyu
2 colheres (sopa) de açucar
2 colheres (sopa) de mirin
4 colheres (sopa) de água
1/2 colher (sopa) de amido de milho

Preparo
Dango
1. Misture o joshinko (ou farinha de arroz comum) com o shiratamako (ou a farinha de arroz glutinoso acrescido de uma colher de amido de milho).
2. Coloque a água morna aos poucos, sempre mexendo a mistura. A massa deve ser macia,não podendo  desmanchar com o excesso de água.






3. Faça pequenas esferas do tamanho de cerca de 4 cm de diâmetro.


4. Cozinhe-os em água fervente. Com o cozimento eles começam a boiar, como nhoques. Espere mais 3 ou 4 minutos e retire-os com a ajuda de uma escumadeira ou peneira.
5. Mergulhe-os em água gelada para interromper o cozimento.
6. Espete de 3 a 4 bolinhas em um espeto.
Mitarashi
1. Misture todos os ingredientes numa panela.
2. Cozinhe até formar uma calda grossa, lembrando que ela endurece mais  a medida que esfria.
3. Cubra os dangos cozidos.

Variações:
Você pode, se quiser, grelhar os espetos com dango antes de cobrir com mitarashi-dare. Ou no lugar deste, você pode usar kinako ou doce de azuki (anko) como cobertura.

Outra variação é o matcha dango (foto).  Basta  adicionar uma colher (chá) do matcha na receita.


10 Responses to “Um wagashi simples e rápido: dango”

  1. Nice post. I learn something more challenging on different blogs everyday. It will always be stimulating to read content from other writers and practice a little something from their store. I’d prefer to use some with the content on my blog whether you don’t mind. Natually I’ll give you a link on your web blog. Thanks for sharing.

  2. Sybil disse:

    Dá pra fazer dango só com a farinha de arroz normal? (a da linha de cima?)

  3. So use the product/products or service personally before you register as an affiliate to see if it can really deliver what it promises there is a lot of stuff out there that does not. If you did this then youre one of the credible and living testaments aware of the advantages and disadvantages to build trust. Your customers will see & feel the sincerity and truthfulness in you and that is what will trigger them to buy & judge for them selves going by your word.

  4. O Onívoro disse:

    Depende do tamanho. Não lembro ao certo agora, mas acho que eram umas 10 bolinhas, no tamanho indicado na foto.

  5. Sasori disse:

    Quantas bolinhas da em média esse tanto de ingredientes?

  6. Sarah disse:

    HUm, ótimo! rs!
    Tenho dificuldade com os caldos, principalmente lamen e soba. Ficasempre esquisito, sei lá porque…
    Um hora em que estiver inspirado um Misso lamen seria ótimo! é meu preferido.

    Beijão!

  7. O Onívoro disse:

    Peça a receita. Dependendo, não apenas te ensino, como coloco aqui.
    Beijão

  8. O Onívoro disse:

    Quando você quiser…

    Beijão

  9. Sarah disse:

    Hum! Parece ótimo. Este doce nunca comi. Fiquei curiosa. Pena que aqui em casa acabo comendo sozinha os doces japoneses, o marido não acompanha e a parte japs da família mora em Minas… Não sou muito apaixonada por matcha, mas imagino que deva dar um sabor interessante.

    Depois quero te pedir umas dicas de pratos orientais salgados. Não sou muito boa neles e sei que vc é expert!

    Feliz Ano Novo!

    bjs

  10. etienne yamamoto disse:

    genial! adoro suas receitas e fotos!

    mas prefiro o doce sem o matcha e sem o azuki como finalização.
    é mais xiita, eu sei. mas me parece mais simples e gostoso.

    quando rola uma noite gastronômica, hein?!

    bacci

Leave a Reply