Entrega em domicílio:
Posts
Comments

Prédios, asfalto, carros. O cenário das cidades parece ser árido, mas se você se esforçar poderá ver que ainda existe árvores nas ruas. Um colírio para os olhos, já acostumado com a poluição e o excesso de informações. E olhe! Um coisa vermelha. Parece uma frutinha. Será que dá para comer? Se olhar mais de perto verá que é uma pitanga. Mais à frente, um arbusto dá frutos roxos. Será que são amoras?

A cidade de São Paulo, não é exatamente um exemplo de arborização. Afinal, bairros (geralmente nobres) que parecem mais bosques com tantas árvores contrastam com avenidas tão desertas quanto o Saara. Mas se você olhar com atenção essas árvores verão que elas dão frutos também. São pintagueiras, amoreiras, abacateiros, jabuticabeiras, mangueiras e, acredite, até lichias (lichieiras?). Então, por que nunca reparamos nelas?

A urbanização, a vida nas cidades, a industrialização da comida e mais outros fatores associados com a vida moderna, fazem com que fiquemos cegos. Não percebemos quando a comida está ao nosso redor. Ao alcance das mãos. Frutas não vem de árvores ou arbustos. Vem do supermercado, no máximo, da feira livre (assim como leite vem de caixas, não da vaca).  Para nós, ver uma árvore com frutas é tão estranho quanto um cachorro esqueitista. E acabamos tão cegos que não sabemos nem de onde vem nossa comida, ignoramos sua história.

Algumas pessoas (e iniciativas) tentam mudar isso. Mostrar ao público que comida não vem do nada, não surge de um passe de mágica, de embalagens higienizadas ou de uma máquina. Querem que saibamos que o que nos alimenta vem (ou pelo menos deveria vir) da natureza.  É o que faz o fallenfruit.org, um grupo nos EUA que tenta incentivar a sociedade a plantar e colher frutas na urbe, dentro de um conceito que não envolve apenas as frutas em si, mas questões sobre segurança alimentar, meio ambiente e a vida não natural que levamos nas cidades. Pare eles, colher frutas é um retorno à natureza. A uma época em que os vegetais em nossa alimentação não vinham da agricultura, mas da coleta. Um retorno da natureza humana em sua essência, longe da cultura. Coisa que nos faz falta, sem ao menos percebemos.

Inspirado nessa idéia, tratei de iniciar um mapa colaborativo com as frutas de São Paulo, onde qualquer um (desde que tenha uma conta no Google, mas isso é a parte mais fácil) pode colaborar, indicando pontos, locais onde possamos encontrar árvores frutíferas. E convido a todos a colocar no mapa aquela nespereira que está em frente à sua casa, ou a amoreira no caminho de seu trabalho. Sei que o mapa está só no início, mas espero que no futuro, ele esteja abarrotado de pontos azuis indicando árvores que possa incrementar seu jantar.


Visualizar Árvores frutíferas em São Paulo em um mapa maior
Update: Algumas pessoas estão com alguma dificuldade para conseguir indicar uma árvore no mapa. Pois aqui vão as instruções de como fazer isso:

1. É preciso ter uma conta da Google para colaborar com o mapa.  Acho que quase todos tem uma, não? Se não, faça uma.
2. Faça o longin. E abra o mapa.
3. No canto superior esquerdo, clique em editar.
 

4.Adicione um marcador de lugar. Arraste-o até o ponto desejado.

5. Edite as informações, salve e pronto.

Update 2 (18/07/2012): Pelo jeito, o Google mudou todo esquema de colaboração de mapas e bagunçou um pouco o coreto. Tenho recebido mensagem de pessoas dizendo que não conseguem postar um ponto, com uma árvore (ou árvores). De fato, o sistema atual é complicado, senão, burro. Por isso, aqui vai um novo tutorial.
1. Faça o login no Google Maps. É necessário uma conta no Google.
2. Adicione o mapa em “Meus Lugares”

 3. Encontre o ponto onde se encontra a árvore. Pode ser pelo endereço mais próximo, pelas coordenadas (que podem ser conseguidas pelo GPS de um smartphone) ou arrastando uma seta. 4. Encontrado o ponto, clique em  ”Salvar em…” e salve em “Árvores Frutíferas”5. E agora você deve editar esse ponto. Volte ao mapa de árvores frutíferas e procure pelo ponto que você adicionou ao mapa.  Edite o que for necessário e clique ok.Sei que é complicado e estou procurando formas mais simples para fazer isso. Se alguém conhecer um jeito mais fácil, por favor, entre em contato comigo.

10 Responses to “Árvores frutíferas na cidade: um pequeno retorno à natureza”

  1. [...] e também não me dei conta de dois mapas colaborativos incríveis que ele tem no blog: um com as árvores frutíferas de São Paulo e outro com a rede de orgânicos que existe por aqui. Esses 3 assuntos mereciam um novo post o [...]

  2. [...] e também não me dei conta de dois mapas colaborativos incríveis que ele tem no blog, um com as árvores frutíferas de São Paulo e outro com a rede de orgânicos que existe por aqui. Esses 3 assuntos mereciam um novo post o [...]

  3. Oizinho Uma mensagem pra vc bom site

  4. Jéssica Cruz disse:

    Olá Isaac,

    Sou produtora do Jornal da Gazeta. Poderia me passar um contato seu para uma entrevista.

    Aguardo retorno e muito obrigado,

  5. [...] saber como indicar pontos no mapa, entre no site O Onívoro, que explica o passo a passo. Colabore você [...]

  6. Renato Piccinin disse:

    MUITO LEGAL A INICIATIVA. ACABEI DE SALVAR UMA ARVORE DE UM FRUTO CONHECIDO COMO Araçá. NO BAIRRO DE PERDIZES.

  7. Camila disse:

    Olá, adorei essa iniciativa e gostaria muito de saber como faço pra criar um mapa desses pra minha cidade. Obrigada. =)

  8. Daniel disse:

    Curti demais!

    breve coloco mais algumas que lembrar :D

  9. Neide Rigo disse:

    Isaac, sensacional este mapa. Pode deixar que vou colaborar. Um abraço, n

Leave a Reply